Fumar afeta a visão! - Artigo sobre cigarro e fumantes < Artigos < Duplipensar.net  

 
Fumar afeta a visão! O Cigarro na capa do disco do Van Halen 1984 Fumar afeta a visão! O Cigarro na capa do disco do Van Halen 1984Fumar afeta a visão! O Cigarro na capa do disco do Van Halen 1984  



Adilson Luiz Gonçalves - Publicado em 02.10.2006




Publicidade


Além de provocar inúmeros malefícios ao corpo humano, direta ou indiretamente, tais como: câncer, impotência sexual, comprometimento da capacidade respiratória, perda de paladar e olfato, mau-hálito etc, o fumo pode prejudicar seriamente a visão de seus usuários!

A conclusão decorreu de algumas constatações bastante simples e diretas, que podem ser conferidas por qualquer observador menos atento:

Existem leis federais, estaduais e municipais que proíbem o ato de fumar em ambientes públicos. Isto inclui: shoppings, restaurantes, aeroportos, agências bancárias etc. Por conta disso, esses locais exibem de forma bastante clara e repetida a sinalização internacional específica (um cigarro aceso, cortado por uma faixa vermelha dentro de um círculo de bordas também vermelhas), acompanhada da menção da lei que estipulou a proibição. Alguns fumantes não a vêem! Também pode ser daltonismo...

Agora, observemos os cinzeiros, tanto os de piso como os mais altos: Normalmente, eles são colocados em locais visíveis: cantos de paredes e áreas de circulação. Apesar disso, jardineiras, pias, vasos sanitários e janelas – não importando o que esteja lá embaixo - são os alvos preferenciais do descarte das pontas, só suplantados pela preferência de oito entre dez fumantes: jogar a ponta no chão e pisá-la, mesmo a poucos metros de um cinzeiro. O único deles que consegue servir ao seu intento é o de mesa: mais próximo e, portanto, visível. Mesmo assim ele ainda sofre a concorrência da xícara de café... Já não é o caso dos cinzeiros de veículos, que mesmo próximos são preteridos pela janela, não importa que haja vegetação ao lado das estradas, que podem gerar incêndios de graves conseqüências ambientais ou danos à propriedade pública ou particular.

Nos restaurantes, mesmo em áreas para não-fumantes, alguns adeptos do hábito – que não o consideram como vício – saboreiam o prato sem fumar, mas o fazem antes e depois da refeição, ignorando que outras pessoas estão ali para simplesmente comer, o que parece ser natural nesse tipo de estabelecimento. Talvez a fumaça os impeça de ver quem está ao lado, inclusive crianças...

Se já é difícil ver sinais de proibição, cinzeiros e silhuetas humanas imaginem enxergar a direção da fumaça, que geralmente atinge os que não fumam...

Mas o caso mais grave é que os fumantes não enxergam as fotos impressas nos maços de cigarro!

Dizem que o pior cego é aquele que não quer ver... Aproveitando disso a indústria do tabaco investe fortunas para arregimentar novos adeptos, sobretudo na fase inicial da adolescência, quando o organismo é mais susceptível à aquisição de vícios. O curioso é que o principal mecanismo de difusão é o “marketing boca-a-boca” do “fogo amigo”! Além disso, a maioria dos que provaram o fumo pela primeira vez afirma não ter gostado. Quem insiste, e se vicia, alega outros motivos para fumar, quase sempre abstratos, simbólicos ou mal-explicados. Assim, se um fumante for inquirido sobre o motivo de seu hábito – “Vício? Não!” – talvez dê mil razões, mas se perguntar a si próprio talvez consiga enxergar uma resposta sincera e clara, se a visão interior ainda não tiver sido afetada. Mesmo assim, alguns talvez digam: “Isso é problema meu!”, mas esquecem que o odor desagradável e a fumaça prejudicial do fumo afetam a maioria que não fuma. Fumar, portanto, é um hábito anti-social ao extremo. Só seria problema exclusivo deles se fumassem dentro de uma redoma...

Concluindo: fumar causa danos à visão principalmente porque o fumante não consegue enxergar o mal que faz a si próprio e aos outros!

Leia também:
O cigarro duplipensado - Fabrício Cruz
[+] Envie este artigo para um amigo: