Diário de Winston Smith << Duplipensar.net

Diário de Winston Smith
Winston Smith é o protagonista da obra-prima de George Orwell, 1984. Num mundo em que os todos são vigiados permanentemente através da tecnologia, Winston compra um simples bloco de papel para registrar seus pensamentos


  Diário de Winston Smith, o blog do Duplipensar.net

O presente é o passado
A absoluta reconquista mexicana
George Orwell é o segundo melhor escritor britânic...
Jogador muda de nome para a Copa do Mundo de Rugby...
Corra que a polícia vem aí!
Bebê fica famoso na web antes de nascer
O Grande Irmão Chávez usa a tragédia do Peru para ...
Governo português, CIA, FBI e Vaticano alteram a ...
Decida pelo terceiro mandato de Lula
Curiosidades incovenientes do Pan
O Ministério da Verdade informa os próximos passos...


O passado é o presente
06.2004
07.2004
08.2004
09.2004
10.2004
11.2004
12.2004
01.2005
02.2005
03.2005
04.2005
05.2005
06.2005
07.2005
08.2005
09.2005
10.2005
11.2005
12.2005
01.2006
02.2006
03.2006
04.2006
05.2006
06.2006
07.2006
08.2006
09.2006
10.2006
11.2006
12.2006
01.2007
02.2007
03.2007
04.2007
06.2007
07.2007
08.2007
09.2007
02.2008
04.2008

Página Atual

 



Paranóia até que se prove o contrário

Poucas horas antes do debate televisivo entre os candidatos à presidência dos EUA, três atentados abalaram a cidade de Bagdá - matando 42 pessoas, sendo 35 crianças e 7 adultos. Outras 139 pessoas ficaram feridas. A Invasão do Iraque e a suposta Guerra ao Terror são dois temas centrais da política externa de Bush Junior.
Os atentados de hoje são sem dúvida um ato de terrorismo, mas quem realmente ganha com estas mortes?



Atualização: "População local denúncia: As Tropas dos EUA usam crianças como escudos humanos"




Lestásia executa 36 de uma só vez

Notícias da Lestásia chegam.

Depois de comemorar a liderança nas paraolimpíadas e estrear no circo da Fórmula 1, os chineses têm um esporte muito popular: a execução.

Nesta segunda-feira foram executadas 36 pessoas. Este número se refere às comemorações do 1° de outubro - festa nacional da revolução comunista.

A China é campeã mundial em execuções. Os números oficiais que caem a cada ano registram 1.146 em 2003, mas há denúncias de mais de 10.000 ceifados. A medalha de prata da pena de morte é do Irã (108) e o bronze com os EUA (68), seguidos de perto pelo Vietnã (64).

O mundo rumo à sinonização.




Esqueçam o que falei

Por um momento a música que vinha da teletela parou, uma voz inconfundível a substitui imediatamente:

"Fiz o pronunciamento. Depois, quando fui falar de improviso, eu fui tomado por uma emoção muito grande, como todo orador é, e falei da campanha eleitoral. Falei. Se cometi um erro, sou presidente da República e não gostaria de dar exemplo de transgredir qualquer lei. Portanto, como criaram a palavra desculpa, peço desculpa se isso causou algum mal a alguém.
Não entendo por que os nossos adversários que estão na campanha todos os dias ficaram tão nervosos. Começaram dizendo que fariam uma campanha federalizada que iria destruir o governo federal. Os números da economia fizeram com que eles fechassem a boca, não falassem. Só faltam pedir voto para mim em palanque. Agora, se isso foi errado, só tenho de pedir desculpas, se machuquei alguém, se feri alguém. Vou ser mais comedido daqui para a frente. Vou evitar que, durante esse processo de campanha, faça os meus improvisos falando de eleição. Pode ajudar o meu candidato, mas não é um exemplo que pode ser bom para a Justiça."


Pedido de desculpas ou retratação?


A coletiva fora organizada após denúncias de diversos órgãos da imprensa nacional contra o uso político da inauguração de um novo trecho da Avenida Radial Leste, em São Paulo. A obra fora realizada com recursos da prefeitura local e do governo federal, entretanto o discurso improvisado do Presidente acabou criando constrangimentos ao país.
O programa eleitoral da candidata Marta Suplicy, desta segunda-feira, veiculou trechos do discurso improvisado pelo Presidente. Minha memória ainda registrava algumas palavras vociferadas pela teletela:

"É por isso que nós temos a obrigação política de levantar a cabeça com muito orgulho e dizer aos companheiros e às companheiras de São Paulo inteira, que se as pessoas querem continuar tendo progresso nas políticas sociais não têm outro jeito, dia 3 de outubro é votar na Marta Suplicy para continuar administrando São Paulo."

O depoimento de Luiz Inácio da Silva avançou por mais de uma hora. Enquanto sua voz era reproduzida pela teletela, me dirigi ao computador para pesquisar a íntegra do supracitado discurso. Não havia registro no site oficial.

"Eu não estava aqui, quando teve esse problema do site. Eu disse ao Ricardo Kotscho (secretário de Imprensa), para colocar no site esse negócio, porque o discurso está por escrito, eu não tenho como dizer que eu não fiz o discurso, porque está por escrito."

Hoje, após 48 horas, o mesmo discurso pode ser visto neste endereço.

Lembrei das imagens de moradores revoltados com o alagamento na Avenida Radial Leste, veiculados exaustivamente pela teletela nesta segunda-feira. Ocorreu-me também que esta não era a primeira tentativa de rescrever a história alterando seus registros. O Partido dos Trabalhadores têm muito ainda o que aprender.




Breve nos cinemas?



O diretor Robert Kane Pappas examina em "Orwell Deve Estar Rolando Em Seu Túmulo" uma análise crítica sobre o Quarto Poder, um dos pilares da democracia estadunidense. Ao questionar quando esta sociedade aderiu ao duplipensar, Pappas explora o que a mídia não está falando: sobre si mesma.

"Erroneamente achamos que nosso país é uma democracia quando na verdade se tornou uma midiocracia - onde a mídia que deveria zelar por abusos políticos se tornou ela mesma parte deste abuso."
Danny Schecter, Globalvision.

"Estas entidades comerciais com o apoio do governo controlam nossas vidas. Elas não mais contrapõem os interesses do governo. O que temos hoje é um modelo de mídia semelhante ao vislumbrado por Goebbels, ostencivamente presente e diversificado o bastantes para ocultar sua real uniformidade."
Mark Crispin Miller, Professor de Mídia da Universidade de Nova Iorque.




Putin da vida com o terrorismo e a volta da URSS

O presidente da Federação Russa Vladimir Putin apresentou uma proposta de aumentar seu poder diante da ameaça do terrorismo.

Nesta proposta as eleições diretas para governadores e administradores locais de 89 unidades da federação acabariam. Eles seriam eleitos por uma assembléia local e só assumiriam com o aval do presidente; seriam extintas também as eleições distritais que preenchem metade das vagas do parlamento. A proposta é que toda a Duna seja formada por chapas dos partidos nacionais. Diminuindo a autonomia das repúblicas e regiões que compõem a Rússia.

A intenção de Putin é integrar um país de várias etnias e idiomas contra a ameaça do terrorismo. A Rússia foi alvo de três ataques em menos de um mês.

As medidas que farão da Rússia um espectro da URSS provavelmente serão aprovados, já que o partido de Putin controla mais de 2/3 da do parlamento. Putin governa a Rússia desde o final de 1999 e vem centralizando o poder a cada ano. Os ataques terroristas foram um prato cheio para uma mudança radical.

Além da mudança eleitoral ficarão mais vigiadas as organizações "extremistas" e "religiosas". Dois homens fumando junto pode ser muito arriscado...




Daiane e os stalinósofos

Daine dos Santos é uma atleta excepcional. Conseguiu um lugar na final representando um país atrasado, que só lembra dos vencedores no pódio e que não apóia o esporte é um mérito inquestionável.

Mérito maior foi provar que sabe desconcertar juízes e stalinósofos. Sabendo que a sua presença e dos demais atletas homenageados em Brasília servia para propaganda política das próximas eleições municipais se saiu com uma pérola: "Já que o presidente gosta tanto de Cuba, acho que tinha de investir exatamente igual. Tem muita criança com potencial que está escondida. Teríamos muito mais campeões se houvesse incentivo nas escolas públicas."

O Brasil comemorou sua melhor Olimpíada e mesmo assim conquistou 10 medalhas contra 103 dos EUA e 27 de Cuba. Ou seja, mesmo comemarando o terceiro lugar no continente e recorde de medalhas de ouro, o desempenho foi pífio. Um país que tem 180 milhões de habitantes e todo o tipo de gente para estar com chances de figurar no pódio em todos os esportes não pode se contentar com tão pouco.

Na soma de medalhas de todas as Olimpíadas, os EUA colecionam 2.197, os cubanos 172 e o Brasil 76. Cuba tem menos habitantes do que a Grande São Paulo, comparando com os EUA o Brasil tem 29 vezes menos medalhas para uma população 35% menor.

Os EUA têm uma medalha para cada 133 mil habitantes, Cuba tem 1 para cada 65 mil habitantes e o Brasil... 1 para cada 2,4 milhões de habitantes. É para comemorar?

Estes números refletem os descasos em muitas áreas, revelam muito mais do que o simples fato de competir em Jogos Olímpicos.

Daine jogou a inoperância no ventilador. Em muitas áreas não fazemos o modelo estadunidense e tampouco o modelo cubano. Deixamos apenas a vida nos levar. Se Lula gosta tanto de Cuba por que não copia para os esportes o modelo cubano? Se Lula gosta tanto dos EUA por que não copia o modelo estadunidense, principalmente no esporte universitário?

Propaganda. Apenas propaganda e ainda dois anos de mais propaganda.

Fascilósofos se tranqülizem, o PT não é comunista. Stanilósofos, a propaganda por si só não se sustenta.




Armas de Destruição em Massa

Na próxima segunda (13/09/04), 19 modelos de armas estarão disponíveis para o público estadunidense. O veto, aprovado na gestão Clinton, impedia que armas de uso militar como rifles Kalashnikov, metralhadoras Uzi e armas de fogo de alto calibre fossem comercializadas livremente.
Graças as manobras dos congressistas republicanos, ligados a indústria bélica e associações como a National Rifle Association, o veto perdeu a validade mesmo com a declarada aprovação do atual presidente George W. Bush a proibição.
A comercialização de armas de fogo de alto calibre preocupa a polícia dos Estados Unidos. O veto foi instituído como resposta a uma série de ataques realizados por atiradores em 1994. John Kerry, candidato a presidência pelo partido democrata, afirmou que fará do tema assunto de sua campanha e julga Bush responsável por um ato de traição contra a polícia estadunidense.

Nevermore


Acompanhe o debate sobre o porte de armas na sociedade no Duplipensar.net no artigo "Esse indivíduo violento chamado ser humano".




1.000 soldados estadunidenses mortos


Nos combates contra as forças dos territórios em disputa os soldados da Oceania, apenas dos EUA, já perderam mais de 1.000 soldados. Uma marca que será utilizada duplipensadamente nas próximas eleições pelos dois lados. Mil mortos e uma série de baixas para quê? Quem saiu ganhando com isso.

Nota do Miniver: mais 40% dos mortos são hispânicos, negros e indígenas. Um percentual bem acima da população destas três raças nos EUA.

Matéria da MSN (em inglês).




Os fascilósofos e o terrorismo contra os russos II

No dia 29 de agosto, dois dias antes do atentado de Beslan, escrevemos que os fascilósofos (filósofos fascistas) não escreveram uma linha sobre o atentado que derrubou dois aviões na Rússia. Muitos comentários negativos e alguns positivos. Um leitor chegou a declarar, antes da invasão da escola russa, que o próximo atentado de grande porte seria na ex-URSS. Um outro lembrou que no 11-9 foram mortas pessoas de mais de 80 países diferentes.

Um atentado contra crianças mereceria uma atenção especial. George Bush e Vladimir Putin dizem em seus discursos que o mundo está melhor. Para quem?

Enquanto isso, os fascilósofos não poderiam ignorar o atentado, mesmo assim o fazem atacando os "comedores de criancinhas".

Assim caminha a humanidade...

Vale a pena ler "Tragédia Russa: uma facada no coração da infância" do articulista Paulo Giardullo.




O Novo Soma



Na obra de Aldou Huxley, Admirável Novo, de 1931, o preço que a humanidade tem que pagar pelo conforto e o prazer do consumo é a crescente desumanização e a perda da individualidade. Isto acarreta frustração e vazio. Pois, uma das formas em que o ser humano seria manipulado e consolado nessa sociedade do futuro, seria o incentivo estatal da fuga da realidade através do acesso em massa ao entretenimento, sexo livre e drogas pelo povo, para preencher este vazio, para tentar suprir este algo a mais que temos dentro de nós e que o progresso e o consumismo não podem suprir. Assim, no mundo de ficção de Huxley, o Estado forneceria ou permitiria, veladamente, o uso do SOMA.

Veja agora esta notícia: "Teste com droga que promete orgasmo atrai 200 mulheres na China"

Não deixe de conferir o artigo do dupliarticulista Paulo Giardullo "As drogas como mecanismo de manipulação".




Aluga-se Floresta de 6 milhões km²

Enterrada sobre a cobertura jornalística habitual (incluindo eventuais escândalos e a cobertura eleitoral), a notícia de que o governo federal trabalha num projeto de lei sobre a exploração de florestas ganha um significado especial ao nos aproximarmos de 5 de setembro: Dia da Amazônia.
De acordo com este projeto, enviado pelo Ministério do Meio Ambiente para Casa Civil, empresas nacionais e estrangeiras estarão aptas a explorar os recursos naturais da região amazônica por 5 a 30 anos. Ou seja, contratos que devem ultrapassar o mandato de pelo menos 7 presidentes eleitos. O governo espera iniciar o projeto a partir de 2007 e calcula em R$ 200 milhões o retorno deste "empreendimento".
Quando o próprio Ministério do Meio Ambiente reconhece que "fraudes e a má interpretação das leis ambientais levaram à derrubada de quase um milhão de araucárias, somente em Santa Catarina" não seria mais prudente assegurar uma fiscalização mais eficiente e penalidades contra a exploração dos recursos naturais do país? E quanto a biopirataria?