Diário de Winston Smith << Duplipensar.net

Diário de Winston Smith
Winston Smith é o protagonista da obra-prima de George Orwell, 1984. Num mundo em que os todos são vigiados permanentemente através da tecnologia, Winston compra um simples bloco de papel para registrar seus pensamentos


  Diário de Winston Smith, o blog do Duplipensar.net

O presente é o passado
O Ministério da Verdade informa os próximos passos...
A melhor capa sobre o acidente com o avião da TAM ...
O Big Brother já está entre nós e ele é um computa...
Parabéns George Orwell
O motivo do vermelho da logomarca da candidatura d...
Morre Kurt Vonnegut
YouTube fora do ar. Na Tailândia
Militares britânicos: como confiar neles?
Arnaud Rodrigues no congresso - Humoristas ou cong...
Escolas de samba x Governo Federal




O passado é o presente
06.2004
07.2004
08.2004
09.2004
10.2004
11.2004
12.2004
01.2005
02.2005
03.2005
04.2005
05.2005
06.2005
07.2005
08.2005
09.2005
10.2005
11.2005
12.2005
01.2006
02.2006
03.2006
04.2006
05.2006
06.2006
07.2006
08.2006
09.2006
10.2006
11.2006
12.2006
01.2007
02.2007
03.2007
04.2007
06.2007
07.2007

Página Atual

 



Brasil x EUA

A taxa de rentabilidade mediana das instituições bancárias em 2003:
Brasil: 17%
EUA: 14,6%

Recorde de rentabilidade das instituições bancárias do EUA: 17,4% (1999)
Prévia do Brasil em 2004: 18,4%

2004. Ano recorde de lucro para o Itaú. 3,78 bilhões (2004).
2004. Ano recorde de lucro para o Bradesco. R$ 3,06 bilhões (2004).

Adivinha que campanha eles apoiaram em 2002?




Perguntar não ofende

Se o atual presidente escondeu a corrupção do governo anterior, ele vai denunciar as "maracutaias" de sua equipe?

Inacreditável isso.

Quer perder a esperança? Pergunte ao Lula como.




O Silêncio é Saúde



Em 1974, em plena ditadura argentina, o obelisco da Avenida Nueve de Julio ganhou um círculo com os dizeres "El silencio es salud".

Um anel giratório em volta do obelisco informava uma campanha que servia tanto para reduzir o número de decibéis quanto para conformar os descontentes com o regime "democrático".

Em tempo. O monumento criado pelo arquiteto Alberto Prebisch em 1936 foi uma homenagem ao quarto centenário da fundação de Buenos Aires.

A obra tem 72 metros de altura e foi questionada pelos portenhos. Quase demolido o obelisco foi aceito e hoje é um dos marcos do país.

Mais no excelente livro "A Verdadeira Odessa" que conta o acolhimento da Argentina aos nazistas que escaparam dos julgamentos da II Guerra Mundial.




O crescimento econômico deriva exclusivamente da educação?

O mais recente discurso oficial visando justificar o péssimo desempenho econômico do Brasil, nos últimos anos, está ancorado em uma falácia. Se intencional ou por estupidez, não se me atrevo a definir. Mas que é uma falácia, um equivoco, um erro, não tenho dúvida.

Ao atribuir a pobreza continental de nosso país a ignorância de seu povo, o governo procura ocultar sua responsabilidade no caso. Joga-se, novamente, a culpa nos ombros dos menos favorecidos.

Provavelmente, a idéia de vender essa tese à população busca alimentar o sentimento de culpa, de impotência e de conformismo. "Mudanças neste país, apenas no longo prazo", dirão os gurus do Estado. "Temos um problema que se arrasta por gerações e que não pode ser resolvido de um dia para o outro."

Dessa forma, arrasta-se o problema por mais algumas gerações e evita-se as reais causas do problema: a concentração de renda, a sangria arrecadatória do Estado, os gastos governamentais sem critério, o compromisso com o desenvolvimento econômico internacional e a centralização política que afasta o cidadão brasileira de decisões de seu interesse.




Saw, um Big Brother hardcore

Saw (Jogos Mortais) é um dos melhores filmes do ano. Um Big Brother misturado a um Quarto 101. Sem u-hu nem Bial, mas com inteligência e surpresas a todos os momentos.



Em breve no DUPLI um artigo sobre este filme...




Amigos e Inimigos

"É divertido atirar em algumas pessoas". Com essas palavras James Mattis, general da marinha estadunidense condecorado com três estrelas, descreveu suas atividades no Afeganistão e no Iraque para o corpo de Marines dos EUA em San Diego, Califórnia.

"Na verdade, é bem divertido combater essa gente, vocês sabem", continuou Mattis arrancando gargalhadas de alguns dos militares presentes na platéia. "É divertido atirar em algumas pessoas. Eu mal podia esperar para estar lá com vocês. Adoro brigar. Você vai ao Afeganistão, pega aqueles caras que davam tapas em mulheres cinco anos atrás por não usarem um véu. Vocês sabem, caras assim não servem mesmo para nada. Então me divirto horrores atirando neles."

Eu vejo o futuro e ele é a imagem de uma bota esmagando um crânio humano.