Diário de Winston Smith << Duplipensar.net

Diário de Winston Smith
Winston Smith é o protagonista da obra-prima de George Orwell, 1984. Num mundo em que os todos são vigiados permanentemente através da tecnologia, Winston compra um simples bloco de papel para registrar seus pensamentos


  Diário de Winston Smith, o blog do Duplipensar.net

O presente é o passado
O Ministério da Verdade informa os próximos passos...
A melhor capa sobre o acidente com o avião da TAM ...
O Big Brother já está entre nós e ele é um computa...
Parabéns George Orwell
O motivo do vermelho da logomarca da candidatura d...
Morre Kurt Vonnegut
YouTube fora do ar. Na Tailândia
Militares britânicos: como confiar neles?
Arnaud Rodrigues no congresso - Humoristas ou cong...
Escolas de samba x Governo Federal




O passado é o presente
06.2004
07.2004
08.2004
09.2004
10.2004
11.2004
12.2004
01.2005
02.2005
03.2005
04.2005
05.2005
06.2005
07.2005
08.2005
09.2005
10.2005
11.2005
12.2005
01.2006
02.2006
03.2006
04.2006
05.2006
06.2006
07.2006
08.2006
09.2006
10.2006
11.2006
12.2006
01.2007
02.2007
03.2007
04.2007
06.2007
07.2007

Página Atual

 



Quis ser o Big Brother e acabou preso

Há poucos dias um cipriota foi preso por espionar uma adolescente via internet. O homem de 45 anos inseriu um vírus que controlava a webcam da menina de 17 anos. Assim, o espertalhão podia ver detalhes comprometedores.

Não satisfeito, passou a ameaçá-la, divulgando as tais imagens pela web, se ela não ficasse nua em frente ao micro. A adolescente denunciou-o a polícia do Chipre que, seguindo os passos do Big Brother de araque, localizou-o rapidamente.

Este não é o primeiro caso e infelizmente parece ser a pré-histórica dos Personal Big Brothers. Em janeiro, um espanhol foi preso em flagrante ao espionar várias pessoas através de seus webcams.

As pragas modernas, como os trojans, worms e scams são mais um perigo a privacidade. Além desta existe o perigo ainda maior. Acabar com o anonimato para combater um susposto eixo malígno.

Recomenda-se manter anti-vírus atualizados e olho aberto no cerceamento de sua liberdade em nome de um objetivo-comum.




O Ministério da Verdade e as Armas de Destruição em Massa

E por falar no Ministério da Verdade vamos aos fatos.

Parte I

1983


2002
"Não há dúvida de que Saddam Hussein tem armas de destruição em massa."
Dick Cheney, vice-presidente dos EUA.

2003
Os inspetores da ONU não acham as tais armas proibidas no Iraque. No mês seguinte Colin Powell, secretário de Estado, apresenta supostas provas de fotos de satélite que o Iraque fabricava armas proibidas, entre elas o Antrax. O Iraque é invadido e Saddam derrotado pela coalização anglo-estadunidense. Cem mil civis mortos. No fim do ano, especialistas pedem mais tempo para tentar achá-las. Se lembram dos bois que sumiram no Plano Cruzado?

2004
O condutor das investigações, David Kay, renuncia ao cargo devido a falta de provas das armas proibidas. Apesar do Senado reclamar, Bush ainda insiste que as armas vão aparecer.

2005
Os EUA suspedem a procura das armas de destruição em massa.


Parte II
"A Reforma da Previdência favorecerá mais os pobres" George W. Bush em 28.4.05

A seguir cenas dos próximos capítulos.




A escolha de Bento XVI, a santificação de João Paulo II e o próximo papa

Exisitia uma espectativa muito grande com a escolha do novo papa. Muitos apostaram que ele seria de várias partes do mundo, mas se esqueceram de que esta é uma decisão que envolve muitos interesses.

A escolha de Bento XVI foi determinada pelos seus méritos ou para beatificar João Paulo II?

Explico. A escolha de uma papa que na juventude levantava a mão saudando Hitler parece estranha? Sim, apesar de ser um fato jogado no buraco da memória, Joseph Ratzinger era um soldado alemão, logo saudava Herr Führer e cantava os hinos nazistas. Enquanto cardeal, ganhou o apelido de o Grande Inquisidor.

O Ministério da Verdade informa: o papa, que fez parte da Juventude Hitlerista, nunca se filiou ao Partido Nazista.

Ao escolher um papa com este passado, cara de poucos amigos e com 78 anos o Vaticano optou por acelerar a beatificação de João Paulo II. A fórmula é esta: encontre um sucesso pior para glorificar o anterior, apagando os seus erros.

Para quem tem menos de 30 anos será difícil se acostumar com um papa sem a cara de bom velhinho. Mas quem é esse novo papa? Quem é Bento 16?

Ratzinger, natural de Markti, uma cidade da Baviera, terá, segundo as estatísticas um papado curto. A média dos papas desde o início do século XX aponta para uma curiosa revelação. Em média, os papas foram eleitos aos 66 anos e morreram aos 77. Logo, Bento XVI já começa o seu papado na prorrogação.

Se mesmo assim, Bento XVI viver tanto quanto João Paulo II, este será um papado de apenas seis anos. Desde a escolha de Clemente XII em 1730, papa também aos 78 anos, que o escolhido não é tão idoso.

Além da idade avançada, Bento XVI sofreu uma hemorragia cerebral em 1991. O próprio papa já brincou com os cardeais com a possibilidade de ser curto o seu papado, lembrando que Bento XV só esteve no auge por menos de oito anos (1914 a 1922).

Ratzinger também teria confessado que não queria o posto de papa, pois ele preferia continuar no poder sem o clarão dos holofotes, mas ele próprio era o melhor nome para suceder e, assim, santificar João Paulo II.

Então, quando todos aceitarem Bento XVI como mais um papa e João Paulo II se tornar santo será a hora do lance máximo: o anúncio midiático do próximo papa. Uma escolha de impacto: um papa com carisma, passado limpo e de um país escolhido a dedo.

Lembrem-se que daqui a alguns anos, o número de muçulmanos e evangélicos crescerá ainda mais no Terceiro Mundo. Isto, influenciará a chegada de um papa destas regiões para balancear o cenário e as contas.

Jesus? Que falou em Jesus?




No Child Left Behind

Os EUA é uma nação comprometida com a liberdade, a igualdade e a educação. Eu me pergunto em nome de qual destes nobres ideais uma menina de apenas cinco anos foi algemada?
Será que isto faz parte do programa educacional do presidente Bush?




¡Que se vayan todos!

O povo andino continua sua luta contra um sistema político que não o representa. Um sistema ansioso por um tratado de livre comércio com os EUA, disposto a trocar seus recursos naturais por dólares e capaz de ceder parte de sua soberania para uma base militar estadunidense (e a conseqüente imunidade total as tropas ali instaladas). Um sistema oligárquico, liderado por intelectuais lobotomizados, políticos corruptos e comissões de notáveis palatáveis ao Império.

Em suma, os equatorianos lutam para evitar que seu país se torne apenas mais um país latino-americano como aquele que acolheu seu ex-presidente.




Racismo contra negros e preconceito contra argentinos

Nesta semana o jogador Leandro Désabato tornou-se famoso em todo o mundo após ser preso por racismo.

Désabato, passou cerca de 36 horas encarcerado por ofensas racistas ao jogador são-paulino Grafite em discussão no jogo entre o Quilmes e o São Paulo. Desábato xingou o jogador brasileiro com a "singela" provocação: "negro de m&*@%, mete uma banana no c*".

O hermano teve de pagar uma fiança de R$ 10.000 para deixar a delegacia nesta sexta-feira.

Racismo é inadmissível. No futebol está se tornando uma agressão comum por parte de torcedores, jogadores e até dirigentes. A boa notícia é que a prisão de Désabato pode servir de exemplo para tornar rotina punições severas em caso de racismo, já que federações e clubes fazem vista grossa a este problema, mais comum nos países do sul da Europa, onde a miscigenação é maior.

A imprensa, totalmente dominada pela ditadura do politicamente correto, jamais ousa afirmar a hipótese de preconceito também contra argentinos no caso Desábato. O preconceito foi apenas contra o jogador apelidado de "Grafite"? E o jogador argentino, também não foi vítima de preconceito?

Brasileiros são preconceituosos e este caso ilustra bem a nossa identidade duplipensada. Prende-se alguém por preconceito baseado em outras idéias pré-concebidas como: portugueses burros, argentinos e franceses arrogantes, índios e nordestinos preguiçosos, negros ladrões, louras burras, mulheres barbeiras, anões, judeus e turcos sovinas e etc. Quem não ouviu uma piada com estes temas?

Tirando o grupo acima sobra uma parcela mínima da população. Mas ninguém quer estar nestes grupos, certo? Quantos se auto-declaram caucasianos com vergonha de serem mestiços no perfil do Orkut?

A pergunta que o politicamente correto não deixa questionar é: se o jogador fosse boliviano, paraguaio ou chileno a vontade de enjaulá-lo seria a mesma?




A criação da Lestásia?



Depois de assistirmos aos protestos de chineses e sul-coreanos contra o revisionismo japonês, agora o governo do China e da Índia discutem a possibilidade de criar um acordo de livre comércio.

China e Índia são os países mais populosos do mundo e que tem as maiores taxas de crescimento econômico. Os dois países desejam se aproximar visando, primeiramente, a cooperação no setor de informática. É um fato histórico, já que em 1962 os dois países entraram em guerra em disputa de territórios fronteiriços.

Uma aliança entre os dois países formaria um bloco econômico capaz de fazer frente ao Nafta e à UE, mesmo com um PIB per capita muito baixa - a China ocupa a 122º posição e a Índia o 155º no ranking de países.

O bloco já nasce imenso. Uma área de quase 13 milhões km2, um PIB de mais de US$ 9 trilhões e uma população de 2,4 bilhões de pessoas. Se a taxa de crescimento atual for mantida nas próximas décadas a população da Índia vai superar a da China em 2028, quando ambos terão cerca de 1,5 bilhão de habitantes.

Além disso, o possível bloco contaria com um 700 milhões de homens com idade entre 15 a 49 anos, mão-de-obra essencial em caso de guerras. Perigo para os EUA e União Européia? Estadunidenses e europeus são grandes parceiros comerciais dos dois países asiáticos.

Existe um desnível entre a China e a Índia. Os chineses vivem em média oito anos a mais que os indianos (72-64), tem uma taxa de analfabetismo muito menor (9%-40%); PIB per capita de quase o dobro; têm cinco vezes mais internautas e uma rede de comunicação mais extensa. Dados do CIA Factbook.

E o Japão? Apesar do resentimento dos chineses e dos protestos em livros escolares japoneses, os dois países discutirão acordos bilaterais nos próximos dias.

Será o início da Lestásia?




Busca por mapa e rumo ao admirável mundo novo de 1984

Para aqueles que acham estamos caminhando para o mundo previsto por Zamyatin, Huxley e Orwell segue uma notícia interessante.

O Google lançou ontem, 05.04.2005, uma melhoria no Google Maps, uma ferramenta de localização do site de busca mais popular do mundo. Agora o usuário também pode buscar os mapas através de fotografias de satélite.

A ferramenta é impressionante. Além de ter um mapa do mundo todo, é possível, para as cidades dos EUA, aumentar e diminuir o zoom (em 15 vezes) e mover os mapas com o mouse e checar aonde estão localizados os patrocionadores do projeto.

O Google antecipa que ampliará para outros países esta ferramenta, já que é possível checar, sem detalhes, o "rest of the world".

Como funciona? O usuário digita o nome de uma cidade ou um endereço que aparece ou o mapa ou o Satélite (link à direita no canto superior).

Você pode checar o impacto das grandes metrópoles como Rio de Janeiro e São Paulo, notar as aglomerações de cidades ao longo das grandes rodovidas, como a Dutra, ou, para os EUA, checar detalhes das ruas e reconhecer parques, pontes e bairros, como o "ground zero" e o Central Park em Nova York.

Esta é uma ferramenta em estágio inicial. Alguém pode prever o que acontecerá daqui a dez anos?

Para comparar. Dez anos atrás, o russo Sergey Brin conhecia o estadunidense Larry Page na Universidade de Stanford. Três anos depois a Google Inc abria suas portas.




A morte do papa João Paulo II e a morte de Tancredo Neves



Depois de dias de agonia e sofrimento para fiéis de todo o mundo, Karol Josef Wojtyla, o Papa João Paulo II, descansa em paz aos 84 anos, no Vaticano.

O que isso tem a ver com a morte de Tancredo Neves?

Além do sadomasoquismo de grande parte da população em buscar informações de moribundos famosos, Neves e João Paulo II morreram próximos a datas interessantes.

No dia 1º de abril, data internacional da mentira, vazou a informação de que o papa havia morrido. O Vaticano se pronunciou rapidamente e passou a dar boletins sobre o estado de saúde de seu líder. Após o dia da mentira ter sido ultrapassado em todo o mundo, o papa está morto. Viva o papa.

No dia 21 de abril de 1985 morria Tancredo Neves, após uma agonia de 38 dias de internação (ou praticamente todo período corrido após sua posse como presidente da república) no Hospital de Base de Brasília. Também ocorreram rumores da morte de Tancredo Neves dias antes da data oficial.

Para pensar: o dia 21 de abril é feriado nacional no Brasil. Em 1792, Joaquim José da Silva Xavier foi executado no Rio de Janeiro em conseqüência à sua luta pela independência de Minas Gerais e do Brasil.

Um dos poucos heróis nacionais, Tiradentes só teve este reconhecimento após a proclamação da República e, somente em 1965, foi promulgada uma lei tornando-o patrono cívico do país.

1º de abril é considerado o dia da mentira porque Carlos IX, rei da França, alterou em 1564 o início do ano de abril para janeiro. O primeiro dia de abril passou a ser uma data "de mentira" para o novo início do ano, gerando confusões e anedotas.

Tancredo morreu no dia de Tiradentes sob suspeita de ter morrido antes. João Paulo II morreu um dia após o dia da mentira sob suspeita de ter morrido antes.

Uma bela teoria da conspiração, dirão os controladores da realidade do Ministério da Verdade. O fato é que o impacto de macular a biografia de um Papa que morre no dia da mentira é ainda menos grave do que arranhar a credibilidade do novo Papa.

A Igreja Católica, totalmente duplipensada, é uma das instituições mais fortes do planeta. Tem tantos interesses envolvidos que até Deus duvida. O descrédito com a aparição de crendices a respeito da morte de seu líder numa data emblemática pode levar a uma perda ainda maior de fiéis para o islamismo ou mesmo para igrejas neo-pentecostais.

Certamente, a morte no dia 2 de abril, influenciará em muito à sucessão papal. Basta lembrar que a última eleição papal ocorreu num mundo diferente, envolvido pela Guerra Fria e pelo crescimento de outras religiões.

Se em 1978, após um papado-relâmpago de 33 dias, escolheram um representante do segundo maior país católico do mundo, quem sabe não escolhem o do primeiro desta vez?

Pior para os 30 chacinados na baixada fluminense e Terry Schiavo que irão para o buraco da memória rapidamente.