Diário de Winston Smith << Duplipensar.net

Diário de Winston Smith
Winston Smith é o protagonista da obra-prima de George Orwell, 1984. Num mundo em que os todos são vigiados permanentemente através da tecnologia, Winston compra um simples bloco de papel para registrar seus pensamentos


  Diário de Winston Smith, o blog do Duplipensar.net

O presente é o passado
O Ministério da Verdade informa os próximos passos...
A melhor capa sobre o acidente com o avião da TAM ...
O Big Brother já está entre nós e ele é um computa...
Parabéns George Orwell
O motivo do vermelho da logomarca da candidatura d...
Morre Kurt Vonnegut
YouTube fora do ar. Na Tailândia
Militares britânicos: como confiar neles?
Arnaud Rodrigues no congresso - Humoristas ou cong...
Escolas de samba x Governo Federal




O passado é o presente
06.2004
07.2004
08.2004
09.2004
10.2004
11.2004
12.2004
01.2005
02.2005
03.2005
04.2005
05.2005
06.2005
07.2005
08.2005
09.2005
10.2005
11.2005
12.2005
01.2006
02.2006
03.2006
04.2006
05.2006
06.2006
07.2006
08.2006
09.2006
10.2006
11.2006
12.2006
01.2007
02.2007
03.2007
04.2007
06.2007
07.2007

Página Atual

 



A Pizzaria Brazilula

CPIs, corrupção, denúncias, chantagens, habeas-corpus, enfim... há um cheiro de pizza no ar.

Como sugestão à estrela que se apaga alguns tipos de pizzaria são apropriadas para a época do duplipensamento.



A Little Star Pizza fica em São Francisco e em seu cardápio vende pizzas a partir de US$ 4,00. Na Pizzaria Brasil os valores são muito mais caros.



A All Star Pizza é a preferida do Papai Noel. Reparem que a estrela vermelha desbotada carrega um presente e também na cara de felicidade do pessoal. Se esta foto fosse na Pizzaria Brazilula eles estariam entrelaçados no interesse de suas maletas.

A Star Pizza lembra a Pizzaria Brazilula, infelizmente. Na Pizzaria Brazilula a estrela não é vermelha e a casa está sempre aberta para negócios.



Os estabelecimentos acima e as pizzarias brasileiras não tem nada a ver com a nojeira que o termo "vai terminar em pizza" leva a comparar. Mas no país do "deixa a vida me levar" quem vai fazer algo?




O Terror como Política de Estado

Jean Charles Menezes era apenas um brasileiro buscando uma vida melhor para si e sua família na Inglaterra. Seu erro foi estar no lugar errado, na hora errada, com a aparência errada e vestindo a roupa errada. Dadas as circunstâncias em que se encontrava, é difícil crer que outro ser humano tivesse comportamento diferente daquele que o levou a morte.

Acuado em uma estação de metrô londrina, dias após a explosão de bombas e alertas de atentados, por vinte polícias à paisana apontando-lhe armas e correndo em sua direção não é surpresa que sua reação tenha sido de pânico e tenha corrido o quanto pode na direção oposta.

Ali mesmo foi executado, covardemente, por polícias não identificados sem direito a defesa. A polícia londrina procura se eximir da responsabilidade alegando a extraordinária necessidade de combater o terrorismo com mais violência.

Todas as informações veiculadas após sua execução foram desmentidas como pura desinformação. Jean Charles Menezes não era um terrorista. Não era mulçumano. Não portava arma de qualquer natureza. Não reagiu a sua prisão, pois em momento algum seus algozes se identificaram como polícias e lhe deram ordem de prisão. Possuía, inclusive, um visto diplomático.

Os argumentos de defesa da polícia metropolitana londrina não se sustentam. Se o brasileiro realmente deixou uma casa sob vigilância, por que não foi detido antes de chegar até uma massa considerável de vítimas? Por que realizar tiros à queima-roupa? Por que realizar a operação de maneira totalmente irregular e sem nenhum planejamento?

Enquanto a opinião pública entorpecida assiste atônita o desenrolar dos acontecimentos, Tony Blair defende políticas ainda mais duras contra o terrorismo e insiste que não há relação entre a presença de tropas inglesas na ocupação do Iraque e os atentados em Londres.

O assassinato de Jean Charles Menezes não deve render novas manchetes na Inglaterra. Tão pouco deve ser a última vítima do terrorismo institucionalizado como o próprio Comissário da Polícia Metropolitana de Londres afirma: "Atirar para matar é, agora, inevitável".




São sempre os mesmos governantes

Esta letra foi escrita há quase 20 anos e é atualíssima.

"São sempre os mesmos governantes
Os mesmos que lucraram antes
Põe esperança lado a lado
Às filas de desempregados
Que tudo tem que virar óleo
Pra por na máquina do estado

Quem quer manter a ordem?
Quem quer criar desordem?"

"Desordem" dos Titãs foi gravada no álbum "Jesus não tem dentes no país dos banguelas" (ótimo nome).




Os amigos de hoje são os inimigos de amanhã - Parte 2

Mais um cartaz estadunidense da Segunda Guerra que envolve o mundo orwelliano. Os amigos de hoje podem ser os inimigos do amanhã e de ontem.

O chinês lutou na Segunda Guerra Mundial por qual liberdade?




Lula, o eterno candidato de oposição

Lula reclama que o Brasil, o PT, todo o mundo deveria mudar, menos ele. Lula ainda parece o antigo candidato derrotado que criou o patético governo paralelo. Lula culpa a todos porque não consegue admitir que o seu governo é a maior decepção do país desde o Plano Cruzado.

Muitos dos que não votaram em Lula acreditavam, mesmo com receio, que o país tomaria outros rumos. Se estes escândalos fossem no governo Serra o PT já estaria fazendo atos de Fora Serra, impeachment e por aí vai.

Enquanto isso no mundo encantado de Lula ele ainda é oposição. Ou seja, a responsabilidade de se afastar de aliados espúrios não é dele. Enquanto isso, a mídia o preserva de olho num prometido socorro após a sua reeleição.

Habeas Corpus, ministérios para antiga Arena e MDB, figurinhas repetidas nos cargos de confiança e um fortíssimo cheiro de pizza no ar. Este é o governo Lula. Um governo que já nasceu morto.

Dize-me com que andas que direi quem tu és. Basta ver quem apoiou e quem são os aliados para prever aonde isso vai dar. E vai dar em impunidade e com o Lula-lá reclamando de tudo e de todos. O problema não é dele. O problema é seu que acredita que ele é um anjo ou um demônio.

O cerne da questão não está se o Lula é idiota ou corrupto, frase lamentável do senador tucano que só dá margem ao PT de se defender do indefensável, a questão é que todo o sistema político e judiciário está montado para servir aos corruptos e a políticos inescrupulosos. Sem uma mudança radical o sistema de mensalão sempre se repetirá, seja o presidente idiota, semi-analfabeto, PhD, corrupto, iluminado ou carreirista.

E aquela velha história para boi (ou seria porco) dormir de "comer pelas beiradas" e "tomar o poder aos poucos" só leva ao mesmo caminho da Revolução dos Bichos. Os Porcos no poder tentam ser mais e mais humanos.

No fim das contas todos pagarão os seus impostos calados.




Os amigos de hoje são os inimigos de amanhã - Parte 1



Cartaz estadunidense da II Guerra Mundial na luta pela "liberdade".


Liberdade é Escravidão!
Guerra é Paz!
Ignorância é Força!




O Fantasma de Guy Fawkes e a saudade da Guerra Fria

Os atentados terroristas em Londres chocaram o mundo no quarto centenário da prisão de Guido Fawkes, mais conhecido como Guy Fawkes.

Os ingleses comemoram o 5 de novembro para lembrar a data da prisão de Fawkes (5/11/1605), o inimigo número 1 do século XVII.

Fawkes pretendida explodir vários prédios importantes do reino inglês. A tentativa frustrada gerou a sua prisão e condenação. Os conspiradores foram executados em 31 de janeiro do ano seguinte, segundo determinação do julgamento.

Quatro séculos depois o atentado 7/7 se junta aos grandes atentados nos países ricos como o 11/9 e o 11/3.

O mais triste nesta história é saber que estamos apenas no começo de um cenário sombrio entre a guerra ao terror e os ataques terroristas.

A perspectiva nada animadora leva ao saudosismo da Guerra Fria.

Um artigo antigo do DUPLI e que vale a pena ler "Inimigo Público Número 1" http://www.duplipensar.net/principal/2002-03-inimigo.html




...e eu acredito em duendes!



Crédito da foto: Jornal O Globo.

Como é bom usar o dinheiro público, não? Claro que não existiu nenhum cidadão que pagou do próprio bolso o custo de espalhar mensagens de apoios a um criminoso confesso pelas ruas do Rio de Janeiro. Jefferson não só assumiu no lodo que está o país como zomba de todos. Ele sabe que tudo vai acabar em pizza, afinal muita gente grande está envolvida e este definitivamente não é um país sério.

Lula pode se reeleger e Jefferson também. Aí vem a pergunta: o melhor do Brasil é o brasileiro?