Diário de Winston Smith << Duplipensar.net

Diário de Winston Smith
Winston Smith é o protagonista da obra-prima de George Orwell, 1984. Num mundo em que os todos são vigiados permanentemente através da tecnologia, Winston compra um simples bloco de papel para registrar seus pensamentos


  Diário de Winston Smith, o blog do Duplipensar.net

O presente é o passado
A absoluta reconquista mexicana
George Orwell é o segundo melhor escritor britânic...
Jogador muda de nome para a Copa do Mundo de Rugby...
Corra que a polícia vem aí!
Bebê fica famoso na web antes de nascer
O Grande Irmão Chávez usa a tragédia do Peru para ...
Governo português, CIA, FBI e Vaticano alteram a ...
Decida pelo terceiro mandato de Lula
Curiosidades incovenientes do Pan
O Ministério da Verdade informa os próximos passos...


O passado é o presente
06.2004
07.2004
08.2004
09.2004
10.2004
11.2004
12.2004
01.2005
02.2005
03.2005
04.2005
05.2005
06.2005
07.2005
08.2005
09.2005
10.2005
11.2005
12.2005
01.2006
02.2006
03.2006
04.2006
05.2006
06.2006
07.2006
08.2006
09.2006
10.2006
11.2006
12.2006
01.2007
02.2007
03.2007
04.2007
06.2007
07.2007
08.2007
09.2007
02.2008
04.2008

Página Atual

 



O sigilo bancário aos caros amigos

Lula deveria erguer um altar ao ministro Nelson Jobim em sua casa.

O motivo é simples. O ministro do STF concedeu duas liminares impedindo a quebra de sigilos telefônico, fiscal e bancário do empresário Roberto Kurzweil. Este nobre senhor alugou dois automóveis de luxo para o PT durante a campanha eleitoral de 2002.

Segundo as denúncias, o carro foi utilizado para transportar os famosos dólares cubanos escondidos em caixas de bebidas. Além disso, o empresário responde à acusação de ter intermediado a proposta de US$ 1 milhão dos donos de bingos ao PT para legalizar o jogo no Brasil.

Se fosse feita a quebra dos sigilos a conexão com o presidente ficaria mais perigosa e poderia facilmente levar ao impeachment do ex-operário mais rico do país. Jobim assegurou ao seu amigo o término de seu mandato e uma possível continuação para alegria do setor financeiro.

Ainda tem gente que acha existe um complô das elites para derrubar Lula. Se imprensa, empresários e banqueiros realmente quissesem derrubá-lo Lula já estaria vendo os jogos do Corinthians em seu confortável apartamento em São Bernardo.

Certamente que a oposição quer desmoralizar o presidente visando as eleições nos próximos meses, mas se fosse ao contrário, o PT não faria o mesmo?

O curioso é que o ministro Jobim aparece como possível candidato à presidência da república. Desconfiados disto, 35 magistrados interperlaram no STF a posição do ministro.

Se Jobim é candidato não seria um contrasenso defender o atual presidente? Não me surpreenda que seja um candidato apenas para ter 1% dos votos e barrar de vez o perigo Garotinho, que já larga com quase 20% da preferência do eleitorado.

Quem deve não teme, certo? Pois bem, fica a impressão que o sigilo bancário existe apenas para assegurar que alguns privilegiados não sejam punidos.




Deitado eternamente em berço esplêndido

A verticalização não era o ideal, mas era o mínimo de respeito que os políticos manteriam com os eleitores. Sabe-se que os partidos estão cada dia mais iguais, entretanto, o fim da verticalização é uma mudança de regra há poucos meses da eleição.

A verticalização impedia um pouco a ação dos partidos de aluguel e criaria a longo prazo um conceito real de ideologia partidária. A medida, apoiada pelo presidente e pelos oportunistas, gerará mais alianças incoerentes e suspeitas. Teremos de volta aberrações como ex-deputados da Arena apoiando o PCdoB, Maluf apoiando os barbudinhos e vice-e-versa.

Uma das melhores sacadas veio do blog Eu Hein: "Lula é contra verticalização porque só quer ficar deitado!". É um exagero. Na verdade, Lula quer o fim da verticalização para manter de pé suas alianças cambaleantes, contraditórias e oportunistas.

No país do "Deixa a vida me levar" o hino nacional faz cada vez mais sentido.




Sorria, toda a sua vida será vigiada

Foi registrado que os sites de buscas contribuiram para elucidar um crime. O estadunidense Robert Petrick digitou no Google, dias antes de assassinar sua esposa, as palavras "pescoço", "partir", "quebrar" e "segurar". Não satisfeito, Petrick cechou informações sobre o lago onde jogou o corpo. Ou seja, todos os passos são monitorados.

De boas intenções o inferno está cheio. Assim como o atual escândalo das notificações do governo dos EUA, os seus dados podem servir para inúmeros propósitos maléficos, incluindo o controle da população.

Dizem que o Google se negou a liberar informações sobre usuários ao governo dos EUA, enquanto a AOL, MSN e Yahoo! cederam as pressões do governo. Interesante, anos antes era informado que o exército dos EUA era um dos clientes do Google para grandes informações.

A intenção do governo dos EUA é boa: proteger o cidadão das ameaças do terror e de crimes cibernéticos. Será que vai para por aí? Ou este controle será destinado aos opositores e aos indesejáveis? Mais. Quem disse ao governo que quer ser protegido por ele?

Por enquanto são divulgadas apenas ações positivas para o público em relação aos sites de busca. Ora, eles têm potencial para se tornar um Grande Irmão em poucos anos, devido ao acúmulo de dados pessoais em seus projetos como blog, email, site de relacionamento, programas que organizam fotos, locais que você marcou no simulador do planeta Terra, conversas nos programas de mensagens instantâneas e o histórico de todas as buscas que você já realizou.

Sem falar da possivel combinação destes dados com os sites que você visitou, as páginas que você leu, seus favoritos, dados fornecidos por cookies, provedores e demais aparatos de controle "invisíveis" para o usuário comum.

Assustado? Imagine o controle da geração que quando aprende a escrever cria um blog para comemorar o feito. Toda a vida será registrada na velocidade da inclusão digital e do avanço tecnológico.

Tudo isto se refere apenas à web.




"Não somos mais devedores e, sim, sócios soberanos"

Lula começou mal a sua campanha de reeleição. Em discursos que afirmam que ele não tem pressa Lula começa a tentar recuperar os 20 milhões de votos perdidos, segundo as pesquisas recentes este impressionante número de eleitores não votaria novamente no presidente-candidato.

Referindo-se ao pagamento de uma parcela antecipada ao FMI Lula exagerou. "Não somos mais devedores e, sim, sócios soberanos". É uma frase infeliz e que desafia a sobriedade das pesssoas. Sr. Presidente, não somos tão idiotas como parecemos. O que foi pago foi apenas uma parcela, as metas de inflação do FMI continuam e o motivo da antecipação veio de pressões do próprio fundo que não quer se arriscar com um cenário de tensão pré-eleições. O FMI teme o que ocorreu em 2002. Pior, eles temem a ascenção de um candidato que seja contrário ao enriquecimento do setor financeiro.

Enquanto isso, a revista que eu não leio lança o Zé Dirceu na capa reclamando da imprensa. Ora, se a mídia realmente quisesse o processo de impeachment seria levado a diante. O que se viu foi um "golpe" para manter o atual presidente com o corte de pouquíssimas cabeças e ninguém no xadrez. Além da manjada entrevista de Lula ao Pedro "Big Brother" Bial. Por muito menos Collor foi cassado e fica cada dia mais claro para mim que o tal 3 em 1 do Lulla foi uma indireta do governador de Alagoas ao ex-operário mais rico do país. A história da imprensa manipuladora e senhora de todos os males é antiga e só engana trouxas, assim como este discurso de Lulla.

Como diria o saudoso Raul...

A solução pro nosso povo eu vou dar
Negócio bom assim ninguém nunca viu
Tá tudo pronto aqui é só vir pegar
A solução é alugar o Brasil!

Nós não vamos pagar nada
Nós não vamos pagar nada
É tudo free,
Tá na hora agora é free,
vamo embora
Dar lugar pros gringo entrar
Esse imóvel tá prá alugar

Os estrangeiros, eu sei que eles vão gostar
Tem o Atlântico, tem vista pro mar
A Amazônia é o jardim do quintal
E o dólar deles paga o nosso mingau

Nós não vamos pagar nada
Nós não vamos pagar nada
É tudo free,
Tá na hora agora é free,
vamo embora
Dar lugar pros gringo entrar
Esse imóvel tá prá alugar

Nós não vamos pagar nada
Nós não vamos pagar nada
Agora é free
Tá na hora agora é free,
vamo embora
Dar lugar pros gringo entrar
Esse imóvel tá prá alugar




Schwarzenegger vira impessoa na Áustria

Sinceramente, um dia você imaginaria que o ator Arnold Schwarzenegger se tornaria governador da Califórnia?

O ator austríaco tornou-se cidadão estadunidense e um dia pode ser presidente. Alguns políticos querem abolir a lei que o presidente dos EUA tem necessariamente que nascer em solo estadunidense.

A cidade de Thal e a Áustria não esqueceram o seu ilustre conterrâneo quando este se tornou Miss Universo e um ator conhecido mundialmente. O estádio da cidade vizinha de Graz por exemplo foi batizado de Estádio Arnold Schwarzenegger.

Tudo muito bonito até dezembro do ano passado, quando o então governador Schwarzenegger se recusou a anular a pena de morte do ativista Stanley "Tookie" Williams.

Os protestos na Áustria forçaram alguns políticos oportunistas a começar o processo para rebatizar os nomes de ruas e estádios. O "Exterminador do futuro" para evitar o vexame se antecipou ao pedir pessoalmente que fossem retirados qualquer homenagem a seu nome.

O absurdo maior foi a retirada quase total de qualquer referência a Arnold Schwarzenegger em solo e sites autríacos. O prefeito de Graz, a cidade dos Direitos Humanos, se orgula de ter apagado qualquer referência ao ex-orgulho da cidade.

O Ministério da Verdade informou.